Vestes Sagradas e suas Cores

As vestes sagradas utilizadas pelos padres chamam-se batina. Além de uma utilidade prática, ela tem uma dimensão simbólica e revela uma situação e mentalidade de quem a veste. Durante os primeiros séculos do Cristianismo, os cristãos eram perseguidos pelos romanos, que puniam com a morte quem os contrariasse, portanto, os sacerdotes utilizavam roupas comuns, como a dos leigos. Com o tempo, os eclesiásticos adotaram a utilização de uma túnica branca, que remete à pureza.

As diferentes cores da batina foram adotadas tempos depois. Além do branco, as tonalidades litúrgicas são o vermelho, o roxo, o rosa, o verde e o preto. Conheça o significado das vestes sagradas usadas pelos sacerdotes, suas cores e adereços:

Branco: além da pureza, simboliza a alegria e a paz. É utilizada nos dias de Natal, Páscoa e nas comemorações de Jesus Cristo, da Virgem Maria e dos anjos e santos (não-mártires).

Vermelho: essa cor simboliza o fogo da caridade, ou seja, o amor e o sacrifício. É utilizada nas festividades do Espírito Santo, da Santa Cruz e dos santos mártires, bem como na Paixão do Senhor, Domingo de Pentecostes, Domingo de Ramos e nas festas dos apóstolos e evangelistas.

Roxo: utilizada no tempo de Quaresma e do Advento. Simboliza a penitência e o arrependimento.

Rosa: entretanto, no terceiro domingo do Advento e no quarto domingo da Quaresma, utiliza-se a cor rosa, que traz o sentido de alegria e júbilo pelo nascimento e pela ressurreição do Senhor.

Verde: além de representar a esperança, é considerada a cor da imortalidade e da fé. Essa é a cor utilizada no tempo comum, em praticamente todas as celebrações, ou seja, aos domingos que seguem à festa da Epifania, até a Setuagésima, após o Pentecostes, até o Advento.

Preto: é a cor do luto, da dor e da tristeza. Essa é a tonalidade utilizada nas sextas-feiras santas e nas missas de defuntos, quando a igreja chora a morte do Cristo e de seus filhos.

Vestes papais
A roupa diária do Papa é uma espécie de bata, toda branca, um sapato vermelho, que, historicamente, representa o sangue de Jesus e usá-la significa estar disposto ao sacrifício, uma faixa e um cordão amarrados na cintura. Em cerimônias oficiais, ele utiliza uma bata, também branca, com 33 botões (idade em que Cristo foi crucificado) e uma estola vinho com bordado dourado. O atual Sumo Pontífice, Papa Francisco não utiliza a estola vermelha nem os sapatos vermelhos, prefere mostrar sua simplicidade, apenas de branco.

Bispos e cardeais
Os bispos utilizam a batina preta, com filetes vermelhos e faixa violácea. Há também a opção de utilizar a batina inteira roxa ou inteira preta, sem detalhes. Já os cardeais, utilizam a batina preta ou vermelha, com filetes e faixa vermelhos. Essa é a cor que representa o sangue que eles estão dispostos a perder pelo Santo Padre e pela Santa Igreja.

Adereços
A cruz peitoral é utilizada pelos bispos, cardeais e papas e deve ficar na altura do peito, símbolo de que guardam a cruz no coração. O anel de pescador é utilizado apenas pelo Papa, é o símbolo de sucessão de Pedro, o primeiro Papa. O solidéu é semelhante à quipá judaica, é redondo e fica no topo da cabeça do sacerdote. Foi adotado para a proteção da cabeça e se tornou um item tradicional do vestuário clerical. A mitra, que é utilizada por abades, bispos, arcebispos, cardeais e pelo próprio Papa, cobre a cabeça e simboliza um capacete de defesa, por isso tem um formato mais pontudo

Related Posts

Leave a comment